(14) 3454-8057 | 3324-1077

Notícias

Quem não contribui com o sindicato não é beneficiário da convenção coletiva de trabalho!

O Judiciário paulista decidiu pela inaplicabilidade de Convenção Coletiva de Trabalho em processo onde o trabalhador queria ser beneficiário de direitos apesar de não ser sindicalizado e ter se negado a contribuir com a sua entidade sindical.A Justiça do Trabalho, em sentença recente, no estado de São Paulo, decidiu que o trabalhador que se nega a contribuir para o sindicato de sua categoria, “não tem direito a ser beneficiário das vantagens salariais e sociais conquistada pelo sindicato em Convenção Coletiva, Acordo Coletivo e ou Dissídio Coletivo”.

O Judiciário paulista decidiu pela inaplicabilidade de Convenção Coletiva de Trabalho em processo onde o trabalhador queria ser beneficiário de direitos apesar de não ser sindicalizado e ter se negado a contribuir com a sua entidade sindical. No processo pretendia ver aplicado ao seu contrato de trabalho as cláusulas oriundas de negociação coletiva que estipulou direitos aos empregados integrantes da categoria.

Em seu texto a sentença afirma “tal comportamento viola a cláusula geral da boa fé objetiva, (código civil art.122), se é certo que a sindicalização é facultativa, não menos certo é que as entidades sindicais devem ser valorizadas e precisam da participação dos trabalhadores, a fim de se manterem fortes e aptas a defender os interesses comuns, aliás como qualquer associação de particulares. Já que o autor não concorda em contribuir com o Sindicato, é justo que também não aufira as vantagens negociadas por este em favor da categoria profissional… por estas razões, prossegue a sentença do juiz Eduardo Rockenbach Pires, não procedem os pedidos pertinentes a direitos previstos na Convenção coletiva de Trabalho”.

Ora, comerciários e comerciárias, a sentença é por demais óbvia, se o trabalhador está fora do sindicato, não é justo que queira se beneficiar de vantagens que devem ser apenas conferidas aos trabalhadores sindicalizados que contribuem com a manutenção da estrutura sindical brasileira.

Por vezes, enquanto está trabalhando, o trabalhador até concorda com a chantagem imposta, por alguns prepostos mal intencionados, mas na hora da demissão, o sindicato é a grande referência, pois é lá que serão homologadas ou não as verbas rescisórias. Parece-nos importante refletir, que o gerente também é empregado, por tanto, sujeito a ter seu contrato rescindido, gerente também vai pra rua. A decisão fortalece os sindicatos mas também procura alertar os trabalhadores para que denunciem práticas contrárias o organização sindical e o trabalho decente consagrados pela Organização Internacional do Trabalho, OIT.

Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Motéis, Apart - Hotel, Flats, Restaurantes, Lanchonetes, Fast Food, Bares e Similares de Marília, Ourinhos, Assis e Região
R. Cel Jose Bras, 367 - Centro - Marilia/SP - Fones: (14) 3454-8057 | 3324-1077
e-mail: email.sinthoressou@ig.com.br

Cialis NZ cialis generic nz Viagra Pills Nz , Viagra Online Nz viagra nz KAMAGRA QUE ES,KAMAGRA GEL QUE ES,KAMAGRA 100 MG QUE ES,KAMAGRA ORAL JELLY QUE ES,KAMAGRA 100MG kamagra 100mg Cialis Prijs Belgie,Cialis Prijs Apotheek,Cialis Prijs Apotheek Belgie cialis belgie CIALIS PAS CHER,CIALIS GENERIQUE,CIALIS 20MG cialis 20mg Super Kamagra Belgique,Super Kamagra Avis,Super Kamagra Effet Secondaire kamagra belgique